Portifólio Fotográfico

Bern

Poucas cidades conseguiram manter suas características históricas tão bem preservadas como Berna. O centro histórico entrou para a lista de Patrimônios da Humanidade da UNESCO, e graças aos seus 6 km de arcadas – os moradores do local referem-se a elas como "Lauben" –, a cidade ostenta os mais longos calçadões de compras cobertos da Europa. Few cities have managed to maintain their historical features as well preserved as Bern. The historic centre joined the list of UNESCO World Heritage sites, and thanks to its 6 km of arcades – local residents refer to them as "Lauben" –, the city boasts the longest boardwalks covered shopping in Europe.

Poucas cidades conseguiram manter suas características históricas tão bem preservadas como Berna. O centro histórico entrou para a lista de Patrimônios da Humanidade da UNESCO, e graças aos seus 6 km de arcadas – os moradores do local referem-se a elas como “Lauben” –, a cidade ostenta os mais longos calçadões de compras cobertos da Europa.

Few cities have managed to maintain their historical features as well preserved as Bern. The historic centre joined the list of UNESCO World Heritage sites, and thanks to its 6 km of arcades – local residents refer to them as “Lauben” –, the city boasts the longest boardwalks covered shopping in Europe.

A torre do relógio fica praticamente na entrada da parte antiga da cidade. The clock tower is practically at the entrance of the old town

A torre do relógio fica praticamente na entrada da parte antiga da cidade.

The clock tower is practically at the entrance of the old town

Berna é a capital da Suíça. O Parlamento (Bundeshaus) é um ícone nacional, erguem-se acima da cidade a apenas poucos passos da estação de trem. Bern is the capital of Switzerland. The Parliament (Bundeshaus) is a national icon, rise above the city just a few steps from the train station.

Berna é a capital da Suíça. O Parlamento (Bundeshaus) é um ícone nacional, erguem-se acima da cidade a apenas poucos passos da estação de trem.

Bern is the capital of Switzerland. The Parliament (Bundeshaus) is a national icon, rise above the city just a few steps from the train station.

Bundesplatz - Praça lindíssima com uma bela vista do rio e da parte baixa da cidade. Tem um chafariz em frente que refresca e faz a alegria da criançada, são 26 jatos, que representa os cantões suíços. Beautiful square with a beautiful view of the river and the lower part of the city. There's a fountain in front that refreshes and makes the joy of the children, are 26 jets, which represents the Swiss cantons.

Bundesplatz – Praça lindíssima com uma bela vista do rio e da parte baixa da cidade. Tem um chafariz em frente que refresca e faz a alegria da criançada, são 26 jatos, que representa os cantões suíços.

Beautiful square with a beautiful view of the river and the lower part of the city. There’s a fountain in front that refreshes and makes the joy of the children, are 26 jets, which represents the Swiss cantons.

img_3771a

Sede do Banco Central / Central Bank

Sede do Banco Central   /   Central Bank

A Torre do Relógio "Zytgloggeturm" ( construída no século XII e restaurada em 1771 ). É uma das atrações da cidade: três minutos antes de completar a hora, o galo canta pela primeira vez, depois o bobo da corte toca os sinos.

A Torre do Relógio “Zytgloggeturm” ( construída no século XII e restaurada em 1771 ). É uma das atrações da cidade: três minutos antes de completar a hora, o galo canta pela primeira vez, depois o bobo da corte toca os sinos.

The clock tower "Zytgloggeturm" ( built in the 12th century and restored in 1771 ). Is one of the attractions of the city: three minutes before the hour, the Rooster sings for the first time, after the court jester rings the Bell.

The clock tower “Zytgloggeturm” ( built in the 12th century and restored in 1771 ). Is one of the attractions of the city: three minutes before the hour, the Rooster sings for the first time, after the court jester rings the Bell.

img_3778a

Caminhando pelo Centro Histórico / Walking through the historical centre

Caminhando pelo Centro Histórico   /    Walking through the Historical Centre

Há inúmeras fontes, com água potável, onde se pode beber e reabastecer suas garrafinhas. Cada fonte possui uma história por trás de sua decoração e foram construídas por volta do ano 1550 para preservar a memória de heróis e eventos históricos da Idade Média.

Há inúmeras fontes, com água potável, onde se pode beber e reabastecer suas garrafinhas. Cada fonte possui uma história por trás de sua decoração e foram construídas por volta do ano 1550 para preservar a memória de heróis e eventos históricos da Idade Média.

There are numerous sources of drinking water, where you can drink and refill their bottles. Each source has a story behind their decoration and were built around the year 1550 to preserve the memory of heroes and historical events of the middle ages.

There are numerous sources of drinking water, where you can drink and refill their bottles. Each source has a story behind their decoration and were built around the year 1550 to preserve the memory of heroes and historical events of the middle ages.

img_3785

img_3816a

img_3810a

A esquerda da imagem, localiza-se o Bärenpark - parque dos ursos. Este parque é um espaço próximo ao Rio Aaar onde é possível ver os mascotes da cidade. The left of the image, the bear Park Bärenpark. This Park is a place near the river Aaar where you can see the mascots of the town.

A direita da imagem, localiza-se o Bärenpark – parque dos ursos. Este parque é um espaço próximo ao Rio Aaar onde é possível ver os mascotes da cidade.

The right image, the bear Park Bärenpark. This Park is a place near the river Aaar where you can see the mascots of the town.

img_3825

img_3822a

Zentrum Paul Klee – ( Paul Klee Center )

A arquitetura do prédio do Museu Paul Klee já vale o passeio, pois é de uma beleza única. Lindo prédio de arquitetura contemporânea, projetado pelo famoso arquiteto Renzo Piano.

A arquitetura do prédio do Museu Paul Klee já vale o passeio, pois é de uma beleza única. Lindo prédio de arquitetura contemporânea, projetado pelo famoso arquiteto Renzo Piano.

The architecture of the building of the Paul Klee Museum is worth the ride, because it is a unique beauty. Beautiful contemporary architecture building, designed by the famous architect Renzo Piano.

The architecture of the building of the Paul Klee Museum is worth the ride, because it is a unique beauty. Beautiful contemporary architecture building, designed by the famous architect Renzo Piano.

img_3800

img_3799

img_3798

 

Obs: clicando 2x em cima de qualquer foto, elas ampliam, para voltar a ver outras fotos, aperte na seta ( ← ) que fica na parte superior do monitor.

clicking  2x on any picture, they enlarge. To come back and see the other pictures, click on the arrow (← ), which is in the top part of the monitor.

 

Obs:  Maiores informações sobre a Suíça estão no meu comentário…Confira.

Note: more information about Switzerland in my comment. Check out.

 

Anúncios

Uma resposta

  1. 1.1. População

    A Suíça tem uma população residente permanente de cerca de 8,2 milhões, 24,3% dos quais são estrangeiros nacionais. Ele tem uma taxa de natalidade relativamente baixa em comparação com outros países europeus, com uma média de 1,5 filhos por mulher. Em 2014, a população da Suíça cresceu 1,2%, um aumento impulsionado principalmente pela imigração. Embora o número de Single- e as famílias de duas pessoas na Suíça está em ascensão, cerca de dois terços da população ainda vive em uma casa de família com crianças.

    A diversidade linguística

    A Suíça é um país multicultural e multilingue. Isto é devido à sua localização geográfica no meio de três principais culturas europeias – França, Itália e falando Europa alemão.
    A Suíça tem quatro línguas nacionais, alguns dos quais são faladas mais amplamente do que outros.

    – German (65,6%): Dois terços da população vive em 17 cantões de língua alemã da Suíça.

    Além de falar o alemão padrão, cada cantão tem o seu próprio dialeto suíço-alemão distinto.

    – French (22,8%): Western Switzerland ( “Romandie”) é o lar de francês nativo do país
    caixas de som. Os cantões de Genebra, Vaud, Neuchâtel e Jura está falando exclusivamente francesa, enquanto os cantões de Berna, Friburgo e Valais são bilingues (francês e alemão).

    – Italian (8,4%): O italiano é a língua oficial do Ticino e os vales do sul de Graubünden.

    No entanto, o dialeto Lombard é geralmente falado em áreas rurais e em algumas cidades.

    – Rumantsch: Esta linguagem é descendente de latim vulgar e é falado no único trilingüe
    cantão, Graubünden. As outras duas línguas faladas existem alemão e italiano. Apenas 0,6% de a população suíça é falantes nativos Rumantsch, tornando-o menos falado do quatro nacionais idiomas multicultural Suíços.

    Quase 1,8 milhões de estrangeiros vivem na Suíça. Perto de um quinto nasceram aqui, tornando-os segunda ou terceira geração. Em comparação com outros países, a Suíça tem uma proporção relativamente alta de estrangeiros residentes 22,8%, o que pode ser atribuído em grande parte ao seu processo de naturalização rigorosa. Duranteo século 20, a proporção de estrangeiros variou consideravelmente, refletindo as mudanças na economia e o mercado de trabalho. No final da década de 1960, a primeira onda de trabalhadores sazonais chegou da Itália. Eles foram seguidos por trabalhadores de Espanha, Portugal e Iugoslávia. Hoje italianos compõem o maior grupo de estrangeiros residentes (16,1%), seguido pelos alemães (15,6%), Português (13,1%), francês (5,7%) e sérvios (5,2%). A esmagadora maioria da Suíça de residentes estrangeiros (85%) são de países europeus. A Suíça não é apenas um país de imigração – existem atualmente mais de 716.000 cidadãos suíços vivem no estrangeiro. França abriga de longe o maior número de residentes na Suíça, seguido por os EUA e Alemanha. Os cidadãos suíços que residam em outro país ainda pode votar no referendo suíço e eleições através de cédula de correio. A Organização para os Suíços do Estrangeiro (ASO) e o Serviço para os suíços no estrangeiro do Departamento Federal dos Negócios Estrangeiros Assuntos (FDFA) cuidar dos interesses da comunidade de expatriados suíços.

    1.2. Meio Ambiente

    Política ambiental suíça baseia-se na cultura nacional profundamente enraizada de esposando o natural meio Ambiente. No entanto, a Suíça também introduziu uma série de medidas juridicamente vinculativas para garantir a protecção deste recurso precioso.
    Biodiversidade. Apesar da sua pequena superfície, a Suíça tem uma espantosa diversidade de plantas e animais – alguns 50.000 espécies diferentes florestas.
    Cerca de 30% do território suíço está coberto por bosques. Em um país como a Suíça montanha, florestas são vitais como eles ajudam a preservar a paisagem porque as suas raízes ajudam a estabilizar o solo e evitar deslizamentos de terra, avalanches e erosão.

    Água

    Protecção dos seus cursos de água e fontes de água é uma tarefa permanente e foi consagrado na Constituição suíça já em 1970. A água potável que sai das torneiras suíços é tão pura como água mineral engarrafada. Graças às excelentes tecnologias de purificação de água, você pode banhar-se em qualquer um dos Switzerland’s lakes e rios sem medo de poluição. consumo de água total diária na Suíça é cerca de 400 litros por cabeça (famílias, da indústria e manufatura) com famílias consumindo cerca de 142 litros por dia.

    A política energética

    A Suíça tem poucas fontes de energia tradicionais, com exceção da energia hidráulica e lenha. Isto significa que tem que importar 70% da sua energia. Em 2000, o Parlamento suíço aprovou a Lei de CO2 Federal que visa reduzir as emissões de dióxido de carbono da Suíça a 80% do seu 1990 nível até 2020. Além dessas metas, o governo federal suíço quer manter o país de elevado nível de segurança energética, mesmo sem a energia nuclear a médio prazo. Como as coisas estão, existente instalações nucleares será desmantelada quando a sua licença de operação expira. A fim de garantir abastecimento de energia no futuro, a Suíça vai se concentrar em melhorar a eficiência energética, ampliando hidroeléctrica e mudar para fontes de energia renováveis.

    Reciclagem e gestão de resíduos

    Os suíços atribuem muita importância à reciclagem. Todos os chefes de família pagam um imposto com base no volume de lixo que colocar para fora.

    1.3. Política

    Federalismo

    Confederatio Helvetica (CH) é o nome oficial Latina da Confederação Suíça. Suíça, um

    Estado federal com três níveis políticos:

    – governo federal

    – 26 cantões (20 cantões completos e 6 meios cantões)

    – cerca de 2.400 municípios

    Os cantões e os municípios são em grande parte autônoma. Cada cantão tem a sua própria constituição, leis, parlamento e tribunais. Esta divisão descentralizada do poder e da tentativa de resolver questões em um nível mais baixo possível – conhecido como o princípio da subsidiariedade – são os pilares da Swiss.

    Confederação.

    Governo e ao Parlamento

    O poder executivo está nas mãos do governo de sete membros, também conhecido como o Federal Conselho. Os sete conselheiros federais são eleitos ou reeleitos, conforme o caso, pela Federal Montagem de quatro em quatro anos, no início de uma nova legislatura. O Conselho Federal é executado sete departamentos (ministérios), vê à execução da legislação federal, elabora nova legislação e negocia com outros países. Todos os sete compartilham as funções de chefe de Estado. Todos os anos, uma pessoa diferente Conselheiro Federal assume o papel de presidente. O Conselho Federal é assistida e aconselhada sobre a correndo de seus negócios pela Chancelaria Federal. O governo é composto por representantes dos quatro principais partidos, com base na chamada “fórmula mágica”.

    – O poder legislativo na Suíça é exercido pelo Parlamento, também conhecida como a Assembleia Federal.

    O Parlamento suíço é dividido em duas câmaras com igual poder: o Conselho Nacional e do Conselho dos Estados:

    – O Conselho Nacional representa o povo e tem 200 membros. Cada cantão retorna um número de deputados proporcional ao tamanho de sua população.

    – O Conselho de Estados tem 46 membros e representa os cantões. Cada cantão completo é representado por dois membros e os cantões metade por um membro. Os membros do Parlamento é eleito a cada quatro anos.

    Política estrangeira

    Suíça goza de laços políticos e economicos estreitos com um grande número de países em todo o mundo e é membro de várias organizações internacionais: Em 1960, a Suíça foi membro fundador da Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA); Em 1963 juntou-se ao Conselho Europeu e, em 1975 Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE). A Suíça é também um membro da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Economico (OCDE). Suíça se juntou ao Bretton organizações madeiras em 1992 e também tem dois assentos no Conselho de Estabilidade Financeira (FSB). Em 2002 a Suíça se tornou o membro 190 da Organização das Nações Unidas na sequência de uma votação nacional sobre a questão. Antes disso, a Suíça teve um papel ativo em vários órgãos da ONU. A Suíça também assinou um grande número de acordos bilaterais com outros Estados. Relações entre a Suíça ea União Europeia União se baseiam em acordos setoriais bilaterais: Acordos Bilaterais I (1999) e bilateral Acordos II (2004). Os objetivos da política externa suíça são:

    – Peaceful co-existência de pessoas de todas as nações

    – Promoção e respeito pelos direitos humanos

    – Sustentabilidade ambiental

    – Representar os interesses das empresas suíças no estrangeiro

    – Combate à necessidade e pobreza no mundo

    Neutralidade e da tradição humanitária

    A Suíça é um estado neutro. Ele também é um estado depositário das Convenções de Genebra, que estabelecem o direitos e obrigações dos combatentes e procuram proteger a população civil e os soldados. O convenções foram a ideia de empresário suíço, Henri Dunant, fundador da Internacional Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV) em 1863. Até hoje, Genebra é a casa de sua sede, tornando a cidade capital humanitária do mundo. Genebra é também a casa do Instituto Europeu da ONU e cerca de 200 organizações internacionais, dos quais mais de 150 são missões diplomáticas permanentes.

    Forças armadas suíças

    A Suíça tem um exército de milícia. Isto significa que os soldados servem no exército ao lado dos seus emprego ou estudos. O serviço militar é obrigatório para todos os homens suíços com idades entre 20 e 34. As mulheres podem servir voluntariamente.

    1.4. História

    As comunidades rurais de Uri, Schwyz e Unterwalden estabeleceram as bases para a Confederação Suíça. Outras comunidades juntaram-se no decurso dos seguintes séculos.

    1460 – Fundação da primeira universidade da Suíça, em Basileia.
    1519 – Início da Reforma em Zurique.
    Suíça é dividida em romanos cantões católicos e protestantes.

    1648 – Paz de Westphalia e reconhecimento da independência da Suíça.

    1798 – Napoleão invade Suíça. Fim do “velho regime”.

    1803 – novos cantões substituem os antigos territórios e fazem parte da República Helvética.

    1815 – Congresso de Viena. Fronteiras da atual Suíça são definidas e Suíça da permanente neutralidade é reconhecido pelas potências europeias.

    1847 – Guerra Sonderbund. cantões protestantes derrota cantões católicos romanos que formaram o campeonato Sonderbund separatista.

    1848 – Fundação da Swiss Estado Federal. Nova constituição é um compromisso entre potência e cantonal centralizado autonomia.

    1863 – Fundação do Comité Internacional da Cruz Vermelha (CICV), em Genebra.

    1874 – Introdução do referendo opcional.

    1874 – 1914 – Expansão industrial rápida leva à construção da rede ferroviária e para a perfuração dos túneis Gotthard e Simplon, duas obras-primas da engenharia. O boom no turismo começa.

    1891 – Introdução de iniciativas populares.

    1914 – Primeira Guerra Mundial: tropas suíças são mobilizadas e proteção das fronteiras colocar em 1º lugar.

    1918 – Greve geral.

    1919 – Pela primeira vez, eleições para o Conselho Nacional são baseadas no princípio da representação proporcional.

    1939 – II Guerra Mundial: tropas suíças são mobilizados; neutralidade e manutenção do estatuto independente.

    1948 – Introdução nacional do regime de pensões de sobrevivência da velhice (AHV).

    1960 – Suíça torna-se membro fundador da Associação Europeia de Comércio Livre (EFTA).

    1963 – Suíça torna-se o 17.º membro do Conselho da Europa.

    1971 – As mulheres receberam o direito de voto sobre questões federais.

    1972 – Assinatura do acordo de comércio livre com a Comunidade Europeia (CE).
    1975 – Adesão à Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE).

    1978 – A parte do Cantão de Berna torna-se Jura: cantão 26 da Suíça.

    1999 – Primeira série de acordos bilaterais entre a Suíça e a União Europeia.

    2000 – Entrada em vigor da nova Constituição suíça.

    2002 – Suíça junta-se às Nações Unidas. Acordos Bilaterais I com a União Europeia

    2004 – A segunda série de acordos bilaterais com a UE – Schengen e Dublin – são aprovados em uma votação popular.

    1.5. Ciência

    A Suíça é um importante centro internacional para a pesquisa científica e tecnológica. Por muitos anos o Innovation Union Scoreboard classificou a Suíça, na parte superior da nações mais inovadora da Europa. Até esta data, produziu 20 ganhadores do Prêmio Nobel.

    1.6. Educação

    Suíça sempre colocou um alto valor na oferta de educação de boa qualidade e possui muitas oportunidades de ensino superior. É um dos principais investidores do mundo em educação. Desde 2010, por exemplo, as despesas públicas em educação totalizaram CHF 30 bilhões.

    Sistema escolar

    O sistema de educação suíça é descentralizada, com responsabilidades partilhadas principalmente entre cantões e municípios. Os 26 membros da Conferência Suíça de Ministros cantonal de Educação asseguram a coordenação do sistema de ensino primário e secundário. Ensino superior geralmente é uma responsabilidade conjunta cantonal-federal. A Suíça tem três níveis de ensino: primário, secundário e terciário. Os níveis primário e secundário inferior são obrigatórias, e, juntos, normalmente levam nove anos. Isto é seguido pelo ensino pós-obrigatório (ensino secundário). Suíça opera um “sistema dual”: os alunos podem optar pelo ensino e percurso de formação (Aprendizagem) ou para o acadêmico em geral, que irá prepará-los para o Matura (Swiss bacharelado) e, finalmente, a participação em universidade. Cerca de 60% dos jovens optar pela via da aprendizagem, que pode levar até quatro anos. Existem mais de 250 profissões para escolher, cursos de formação técnica são mais populares entre os jovens. Enquanto as mulheres jovens tendem a escolher cursos e profissões relacionadas com a saúde no setor de serviços pessoais.

    Universidades e Universidades de Ciências Aplicadas

    A Suíça tem dez cantonal e duas universidades nacionais. As universidades nacionais são chamados Federal Institutos de Tecnologia e baseiam-se em Zurique (ETH) e Lausanne (EPFL).

    1.7. Cultura

    A Suíça tem uma cena próspera e diversas artes. As diferentes culturas dentro Suíça são
    fortemente influenciado pelas culturas de seus vizinhos: França, Alemanha e Itália.

    Política cultural

    Duas instituições são responsáveis pela criação e gestão da política de cultura suíça. O primeiro é o Federal Escritório de Assuntos Culturais (FOC), que é o centro do governo suíço de conhecimentos para questões da política de promoção cultural e para a preservação e divulgação dos valores culturais. O segundo é Pro Helvetia, a Fundação Suíça de Cultura, que promove a criatividade cultural e promove cultural intercâmbios. A FOC, Pro Helvetia eo FDFA partilham a responsabilidade pela promoção no exterior da cultura suíça.

    1.8. Esporte

    Suíça é bastante uma nação alegre e produziu uma série de renome internacional desportistas.

    Esporte na Suíça

    Dois terços da população suíça participa de uma atividade desportiva pelo menos uma vez por semana. A maioria dos esportes populares são: esqui, caminhadas, futebol, hóquei no gelo, basquetebol, ciclismo, natação, ténis, ginástica e caminhadas. Os esportes nacionais suíços são Schwingen (tradicional luta alpino) e Hornussen (um cruzamento entre beisebol e golfe). A Suíça é sinônimo dos esportes de Inverno. Tem muitas estâncias de esqui, são muito populares, com os moradores e visitantes estrangeiros. Outros passatempos favoritos de inverno incluem snowshoeing, snowboard, tobogã e patinação no gelo. Rambling e caminhadas são particularmente popular nos meses de verão. A Suíça tem mais de 50.000 quilômetros de sinalização
    nas trilhas para caminhadas.

    Federações desportivas internacionais

    A Suíça é a sede de um número de federações desportivas internacionais, como o

    Comité Internacional Olímpico em Lausanne (COI), a Federação Internacional de Associação Futebol (FIFA) e da Federação Internacional de Hóquei no Gelo (IIHF) em Zurique, o Internacional de Ciclismo União (UTI) em Aigle e a União das Associações Europeias de Futebol (UEFA), em Nyon.

    1.9. Economia

    Suíça deve a alta produtividade da sua economia ao seu sistema liberal de mercado, estabilidade política e laços estreitos com as economias estrangeiras. A moeda nacional é o franco suíço (CHF). Em 2011- o produto interno bruto da Suíça (PIB) foi de CHF 587 bilhões.

    Setores economicos

    A Suíça é principalmente uma economia de serviços. 73,7% da força de trabalho estão empregados no setor terciário (serviços), 22,8% no sector secundário (indústria) e 3,5% no sector primário (agricultura). As principais indústrias do setor de serviços são: seguros, bancos, comércio e turismo. O setor secundário é dominado pelas máquinas, eletrônicos, metais e química e indústrias farmacêutica. O setor agrícola está passando por mudanças devido à crescente demanda por produtos orgânicos e métodos de produção ambientalmente amigáveis. O verdadeiro esteio da economia Swiss é altamente especializados e flexíveis nas pequenas e médias empresas (PME). Elas são mais de 99% de todas as empresas registadas na Suíça, e empregam dois terços do total de trabalhadores. Muitas empresas estrangeiras e multinacionais suíças têm a sua sede na Suíça e são os principais investidores na economia suíça.

    Mercado de trabalho

    A Suíça tem algumas das mais longas horas de trabalho no mundo: 42,3 realizada horas por trabalho por semana. O desemprego é baixo (cerca de 3%) e as relações laborais são geralmente muito harmoniosa e estável. Mas nem sempre foi assim. A virada veio em 1937 com a assinatura do “acordo de trabalho” pelos sindicatos e empregadores na indústria metalúrgica. Isto estipulou que todas as disputas futuras seriam resolvidas por meio de arbitragem em vez de greves.

    Exportações

    Dado que a Suíça é um país pequeno, seu mercado doméstico é limitado. É um grande exportador e importador de mercadorias. O comércio de bens e serviços é responsável por uma parte relativamente elevada percentagem do seu PIB. A maioria dos bens e serviços produzidos na Suíça são exportados, principalmente para a União Europeia (dois terços dos todas as exportações suíças). Suas principais exportações são produtos químicos, máquinas, instrumentos de precisão, relógios e jóia. Indústria e serviços bem desenvolvidos, bem como o elevado potencial de inovação no crescimento indústrias como a tecnologia de micro, biotecnologia e fármacos significa que a Suíça tem o que é
    leva para produzir o estado-da-arte, bens de qualidade.

    Turismo

    Na Suíça, o turismo é um setor economico fundamental, gerando 6% do seu produto interno bruto. A indústria hoteleira catering – emprega cerca de 215.000 pessoas em cerca de 27.000 empresas. A indústria hoteleira, também inclui sanatórios, registrou 34,7 milhões de dormidas em 2012. Infra-estrutura turística da Suíça é extensa, tornando-se um destino durante todo o ano. Há muitos resorts de inverno e verão para escolher, para não mencionar banhos termais e hotéis de conferências. No entanto, mais importantes atrações turísticas da Suíça são suas paisagens intocadas e diversas, bem
    como a sua vida cultural vibrante. O conselho de turismo nacional Suíça Turismo e turístico regional organizações trabalham incansavelmente para garantir que a Suíça continua a ser um destino turisco emocionante e atraente.

    Centro financeiro suíço
    O centro financeiro suíço é um dos principais contribuintes para a economia nacional, gerando mais de 10% do PIB suíço. Um sistema financeiro internacional estável é vital para uma economia aberta, impulsionado pelas exportações. Em 2012, o governo federal introduziu um pacote de medidas para tornar a Suíça o centro financeiro mais competitivo e para combater os abusos de forma mais eficaz. Uma das principais medidas ver à Suíça se aproximar de uma “estratégia de integridade financeira”. Em que somente ativos fiscais compatível será gerido no território suíço. A nível internacional, a Suíça participa na linha de frente da luta contra normas transfronteiriças crime financeiro, e usos reconhecidos internacionalmente por garantir a integridade. A Suíça também desempenha um papel ativo no Fundo Monetário Internacional (FMI) e Conselho de Estabilidade Financeira (FSB).

    Texto elaborado pela Casa da Suíça – RJ

    1.1. Population

    The Switzerland has a permanent resident population of about 8,200,000, 24.3% of whom are foreign nationals. He has a relatively low birth rate in comparison with other European countries, with an average of 1.5 children per woman. In 2014, Switzerland’s population grew 1.2%, an increase driven mainly by immigration. Although the number of Single-and two-person families in Switzerland is on the rise, about two-thirds of the population still lives in a family with children.

    Linguistic diversity

    The Switzerland is a multicultural and multilingual country. This is due to its geographical location in the middle of three major European cultures – France, Italy and Europe speaking German.
    The Switzerland has four national languages, some of which are spoken more widely than others.

    -German (65.6%): Two-thirds of the population lives in 17 cantons of German-speaking Switzerland.

    In addition to speaking standard German, each canton has its own Swiss-German dialect.

    -French (22.8%): Western Switzerland (“Romandie”) is home to the country’s native French
    speakers. The cantons of Geneva, Vaud, Neuchâtel and Jura are exclusively French speaking, while the cantons of Bern, Fribourg and Valais are bilingual (French and German).

    -Italian (8.4%): the Italian is the official language of the Ticino and the valleys of the southern Grisons.

    However, the Lombard dialect is usually spoken in rural areas and in some cities.

    -Rumantsch: this language is descended from vulgar Latin and is spoken in the only trilingual
    Canton, Graubünden. The other two languages spoken there are German and Italian. Only 0.6% of the Swiss population is Romansh-speakers, making it the least spoken of four multicultural language Swiss national.

    Nearly 1,800,000 for foreigners living in Switzerland. Close to one-fifth were born here, making it the second or third generation. In comparison with other countries, Switzerland has a relatively high proportion of foreign residents 22.8%, which can be attributed in large part to its naturalization process. During the 20 century, the proportion of foreigners varied considerably, reflecting the changes in the economy and the job market. In the late 1960, the first wave of seasonal workers arrived from Italy. They were followed by workers from Spain, Portugal and Yugoslavia. Today Italians make up the largest group of foreign residents (16.1%), followed by the Germans (15.6%), Portuguese (13.1%), French (5.7%) and Serbs (5.2%). The overwhelming majority of the Switzerland of foreign residents (85%) are from European countries. The Switzerland is not only a country of immigration-there are currently more than 716,000 Swiss citizens living abroad. France holds by far the largest number of residents in Switzerland, followed by the United States and Germany. Swiss citizens residing in another country can still vote in the Swiss referendum and elections by mail ballot. The Organisation for the Swiss abroad (ASO) and the service for the Swiss abroad of the Federal Department of Foreign Affairs (FDFA) look after the interests of the community of Swiss expatriates.

    1.2. Environment

    Swiss environmental policy is based on the national culture deeply rooted in esposando the natural environment. However, Switzerland also introduced a series of legally binding measures to ensure the protection of this precious resource.
    Biodiversity. Despite its small area, Switzerland has an amazing diversity of plants and animals – some 50,000 different species forests.
    About 30% of the Swiss territory is covered by woods. In a country like Switzerland, mountain forests are vital as they help preserve the landscape because their roots help stabilize the soil and avoid landslides, avalanches and erosion.

    Water

    Protection of its waterways and water sources is a permanent task and was enshrined in the Swiss Constitution already in 1970. The drinking water that comes out of the taps Swiss is as pure as bottled mineral water. Thanks to the excellent water purification technologies, you can bathe in any one of Switzerland’s lakes and rivers without fear of pollution. total daily water consumption in Switzerland is about 400 litres per head (families, industry and manufacture) with families consuming about of 142 litres per day.

    Energy policy

    The Switzerland has few traditional energy sources, with the exception of hydro and firewood. This means it has to import 70% of its energy. In 2000, the Swiss Parliament approved the law Federal CO2 which aims to reduce carbon dioxide emissions from Switzerland to 80% of its 1990 level until 2020. In addition to these goals, the Swiss federal Government wants to keep the country from high level of energy security, even without nuclear power in the medium term. As things stand, will be decommissioned nuclear installations existing when its operating license expires. In order to ensure energy supply in the future, Switzerland will focus on improving energy efficiency, increasing power and switch to renewable energy sources.

    Recycling and waste management

    The Swiss attach a lot of importance to recycling. All householders pay a tax based on the volume of rubbish to put out.

    1.3. policy

    Federalism

    Confederatio Helvetica (CH) is the official name of Switzerland Confederation Latin. Switzerland, a

    Federal State with three political levels:

    -federal Government

    -26 cantons (cantons and 6 means 20 cantons)

    about 2,400 municipalities

    The cantons and municipalities are largely autonomous. Each canton has its own Constitution, laws, Parliament and courts. This decentralised Division of power and attempt to resolve issues in a lowest possible level-known as the principle of subsidiarity-are the pillars of the Swiss.

    Confederacy.

    Government and Parliament

    The Executive power is in the hands of seven Government members, also known as the Federal Council. The seven federal councillors are elected or re-elected, as the case may be, by the Federal Assembly every four years, at the beginning of a new parliamentary term. The Federal Council runs seven departments (ministries), see the implementation of federal legislation, new legislation and negotiates with other countries. All seven share the functions of head of State. Every year, a different Federal Advisor assumes the role of President. The Federal Council shall be assisted and advised about the running of your business by the Federal Chancellery. The Government is composed of representatives of the four main parties, based on the so-called “magic formula”.

    -The legislative power in Switzerland is exercised by the Parliament, also known as the Federal Assembly.

    The Swiss Parliament is divided into two chambers with equal power: the National Council and Council of States:

    -The National Council represents the people and has 200 members. Each canton returns a number of MPs proportional to its population size.

    -The Council of States has 46 members and represents the cantons. Each canton is represented by two members and the cantons half by a member. The members of Parliament is elected every four years.

    Foreign policy

    Switzerland enjoys political ties and economic links with a large number of countries worldwide and is a member of several international organizations: In 1960, Switzerland was a founding member of the European Free Trade Association (EFTA); In 1963 he joined the European Council and, in 1975 the Organization for security and cooperation in Europe (OSCE). The Switzerland is also a member of the Organization for Economic cooperation and development (OECD). Switzerland joined the Bretton Woods organizations in 1992 and also has two seats on the financial stability Board (FSB). In 2002 the Switzerland became the 190 Member of the United Nations as a result of a national vote on the issue. Before that, Switzerland took an active role in various UN bodies. The Switzerland also signed a large number of bilateral agreements with other States. Relations between Switzerland and the European Union are based on Union bilateral sector agreements: Bilateral Agreements I (1999) and bilateral Agreements II (2004). Switzerland’s foreign policy objectives are:

    -Peaceful coexistence of people of all Nations

    -Promotion and respect for human rights

    -Environmental sustainability

    -Representing the interests of Swiss companies abroad

    -Combating the need and poverty in the world

    Neutrality and humanitarian tradition

    The Switzerland is a neutral State. He is also a depositary State of the Geneva Conventions, which set out the rights and obligations of combatants and seek to protect the civilian population and the soldiers. The conventions were the brainchild of Swiss businessman, Henri Dunant, founder of the International International Committee of the Red Cross (ICRC) in 1863. Until today, Geneva is home to its headquarters, making the city the world’s humanitarian capital. Geneva is also home of the European Institute of the UNITED NATIONS and about 200 international organizations, of which more than 150 are permanent diplomatic missions.

    The Swiss armed forces

    The Switzerland has an army of militia. This means that soldiers serving in the army alongside their employment or studies. Military service is obligatory for all Swiss men aged between 20 and 34. Women can serve voluntarily.

    1.4. History

    The rural communities of Uri, Schwyz and Unterwalden laid the groundwork for the Switzerland Confederation. Other communities have joined in the course of the following centuries.

    1460-founding of the first University of Switzerland in Basel.
    1519-Beginning of the reformation in Zurich.
    Switzerland is divided into Roman Catholic and Protestant cantons.

    1648-the peace of Westphalia and recognition of the independence of Switzerland.

    1798-Napoleon invades Switzerland. End of the “old regime”.

    1803-new cantons replace the former territories and are part of the Helvetic Republic.

    1815 Congress of Vienna. Current Switzerland’s borders are defined and permanent neutrality of Switzerland is recognised by European powers.

    1847-Sonderbund War. Protestant cantons defeat Roman Catholic cantons who formed the Sonderbund separatist League.

    1848-founding of the Swiss Federal State. The new Constitution is a compromise between power and centralized cantonal autonomy.

    1863-Foundation of the International Committee of the Red Cross (ICRC) in Geneva.

    1874-introduction of the optional referendum.

    1874-1914-fast industrial Expansion leads to the construction of the rail network and for the drilling of tunnels, Gotthard and the Simplon, two masterpieces of engineering. The boom in tourism begins.

    1891-introduction of popular initiatives.

    1914-World War I: Swiss troops are mobilized and border protection put in 1st place.

    1918-general strike.

    1919-for the first time, elections to the National Council are based on the principle of proportional representation.

    1939-World War II: Swiss troops are mobilized; neutrality and maintaining independent status.

    1948-Introduction the national pensions scheme of old-age pension (AHV).

    1960-Switzerland becomes a founding member of the European Free Trade Association (EFTA).

    1963-Switzerland becomes the 17th member of the Council of Europe.

    1971-women received the right to vote on Federal issues.

    1972-signing of free trade agreement with the European Community (EC).
    1975-membership of the Organization for security and cooperation in Europe (OSCE).

    1978-the part of the canton of Bern becomes Canton Jura: 26 from Switzerland.

    1999-first series of bilateral agreements between Switzerland and the European Union.

    2000-entry into force of the new Swiss Constitution.

    2002-Switzerland joins the United Nations. Bilateral agreements with the European Union

    2004-the second set of bilateral agreements with the EU-Schengen and Dublin – are approved in a popular vote.

    1.5.

    The Switzerland is an important international centre for scientific and technological research. For many years the Innovation Union Scoreboard ranked Switzerland, at the top of the most innovative Nations in Europe. To date, produced 20 Nobel Prize winners.

    1.6. Education

    Switzerland has always placed a high value on education provision of good quality and has many opportunities for higher education. Is one of the main investors in the world in education. Since 2010, for example, public expenditure on education totalled CHF 30 billion.

    School system

    The Swiss education system is decentralized, with responsibility shared primarily between cantons and municipalities. The 26 members of the Conference of cantonal Ministers of education Switzerland shall ensure the coordination of primary and secondary education system. Higher education generally is a joint federal-cantonal responsibility. The Switzerland has three levels of education: primary, secondary and tertiary. Primary and lower secondary levels are mandatory, and, together, typically take nine years. This is followed by speaker binding post education (secondary education). Switzerland operates a “dual system”: students can opt for the teaching and course of training (learning) or to the general academic, which will prepare them for the Matura (Swiss Matura) and, finally, participation in University. About 60% of young people to choose the path of learning, which can take up to four years. There are more than 250 occupations to choose from, technical training courses are more popular among young people. While young women tend to choose courses and health-related professions in the personal services sector.

    Universities and universities of applied sciences

    The Switzerland has ten cantonal and two national universities. National universities are called Federal Institutes of technology and are based in Zurich (ETH) and Lausanne (EPFL).

    1.7. Culture

    The Switzerland has a thriving and diverse arts scene. The different cultures within Switzerland are
    heavily influenced by the cultures of their neighbors: France, Germany and Italy.

    Cultural policy

    Two institutions are responsible for the creation and management of Swiss culture policy. The first is the Federal Office of Cultural Affairs (FOC), which is the center of the Swiss Government of knowledge to issues of cultural promotion and policy for the preservation and promotion of cultural values. The second is Pro Helvetia, Switzerland Culture Foundation, which promotes cultural creativity and promotes cultural exchanges. The FOC, Pro Helvetia and the FDFA share responsibility for promoting Swiss culture abroad.

    1.8. Sport

    Switzerland is quite a jolly nation and produced a number of internationally renowned sportspeople.

    Sport in Switzerland

    Two thirds of the Swiss population participates in a sporting activity at least once a week. The most popular sports are: skiing, hiking, football, ice hockey, basketball, cycling, swimming, tennis, gymnastics and hiking. The national sports are Swiss Schwingen (traditional alpine wrestling) and Hornussen (a cross between baseball and Golf). The Switzerland is synonymous with Winter sports. Has many ski resorts, are very popular with the locals and foreign visitors. Other favorite pastimes of winter include snowshoeing, snowboarding, tobogganing and ice skating. Rambling and hiking are particularly popular in the summer months. The Switzerland has more than 50,000 kilometers of signaling
    on the hiking trails.

    International sports federations

    The Switzerland is home to a number of international sports federations, as the

    International Olympic Committee (IOC) in Lausanne, the International Federation of Association football (FIFA) and the International Ice Hockey Federation (IIHF) in Zurich, the International Cycling Union (ICU) in Aigle and the Union of European Football Associations (UEFA), in Nyon.

    1.9. Economy

    Switzerland should the high productivity of its economy to its liberal market system, political stability and close ties with foreign economies. The national currency is the Swiss franc (CHF). In 2011-Switzerland’s gross domestic product (GDP) amounted to CHF 587 billion.

    Economic sectors

    The Switzerland is mainly a service economy. 73.7% of the workforce are employed in the tertiary sector (services), 22.8% in the secondary sector (industry) and 3.5% in the primary sector (agriculture). The main industries in the service sector are: insurance, banks, trade and tourism. The secondary sector is dominated by machines, electronics, chemical and pharmaceutical industries and metals. The agricultural sector is undergoing changes due to the growing demand for organic products and environmentally friendly production methods. The real mainstay of the Swiss economy is highly specialized and flexible small and medium-sized enterprises (SMEs). They are more than 99% of all companies registered in Switzerland, and employ two-thirds of the total workers. Many foreign companies and Swiss multinationals have their headquarters in Switzerland and are the main investors in Swiss economy.

    The labour market

    The Switzerland has some of the longest hours in the world: 42.3 held hours per work per week. Unemployment is low (about 3%) and labour relations are usually very harmonious and stable. But it wasn’t always like this. The turning point came in 1937 with the signing of the “working agreement” by the unions and employers in the metal industry. It stipulated that all future disputes would be settled through arbitration rather than strikes.

    Exports

    Given that Switzerland is a small country, its domestic market is limited. Is a major exporter and importer of goods. The trade in goods and services is responsible for a relatively high percentage part of its GDP. Most of the goods and services produced in Switzerland are exported, mainly to the European Union (two-thirds of all Swiss exports). Its main exports are chemical products, machinery, precision instruments, watches and jewelry. And well developed services industry, as well as the high innovation potential in growth industries such as micro-technology, biotechnology and pharmaceuticals means that Switzerland have what it
    takes to produce state-of-the-art, quality goods.

    Tourism

    In Switzerland, tourism is a key economic sector, producing 6% of its gross domestic product. Catering-hospitality industry employs nearly 215,000 people in approximately 27,000 companies. The hotel industry, also includes sanatoriums, recorded overnight stays in 34,700,000 2012. Switzerland’s tourist infrastructure is extensive, making it a year-round destination. There are many winter and summer resorts to choose from, not to mention thermal baths and hotels. However, Switzerland’s most important tourist attractions are its unspoiled landscapes and diverse, as well
    as its vibrant cultural life. The National Tourism Council Switzerland Tourism and regional tourism organizations work tirelessly to ensure that Switzerland remains an exciting and attractive turisco destination.

    Swiss financial centre
    The Swiss financial centre is one of the main contributors to the national economy, generating more than 10% of GDP. A stable international financial system is vital to an open economy, driven by exports. In 2012, the federal Government introduced a package of measures to make Switzerland the most competitive financial center and to combat abuses more effectively. One of the main measures see the Switzerland approach a “financial integrity strategy”. In which only compatible tax assets will be managed in Swiss territory. At the international level, Switzerland participates in the front line of the fight against cross-border financial crime standards, and internationally recognized uses for ensuring integrity. The Switzerland also plays an active role in the International Monetary Fund (IMF) and the financial stability Board (FSB).

    Text drawn up by the House of Switzerland-RJ

    Curtir

    setembro 12, 2016 às 1:14 am

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s